Soube-se recentemente que o partido do primeiro-ministro britânico terá investido 7.500 libras (cerca de 9 mil euros) em publicidade no Facebook para aumentar o número de ‘gostos’ na sua página oficial. Tendo cerca de 60 mil ‘amigos’ há pouco mais de um mês, David Cameron atingiu no passado Domingo (16 de Março) os 138.000 seguidores.

Abstraindo das implicações políticas que esta notícia possa ter, tentemos analisar as razões que poderão ter levado o Partido Conservador Britânico e o seu líder a encetar tal estratégia. Terá sido para cativar mais apoiantes para o seu partido? Uma tentativa de reunir mais votos numas próximas eleições? Aumentar a sua base de apoio e de audiência? Independentemente da razão, e do facto de todos esses ‘gostos’ serem, ou não, provenientes de eleitores de Cameron, há algo de incontornável: a publicidade na internet (e neste caso no Facebook) é eficaz e totalmente mensurável. Só neste meio seria possível saber exactamente qual o valor a pagar por cada conversão ou, dito de outra forma, quanto se paga por cada potencial ‘cliente’.

Apenas recorrendo a pesquisas com custos muito elevados a publicidade offline (televisão, rádio, revistas, jornais, outdoors, etc.) iria saber quanto teria pago por cada um desses ‘seguidores’. Para o partido no poder no Reino Unido esses cálculos são bastante fáceis de realizar. Até ao momento do fecho desta edição, cada ‘gosto’ de David Cameron tinha custado exactamente 11 cêntimos. Um valor substancialmente menor do que aquele que seria necessário para ter semelhante alcance num meio offline, mas, acima de tudo, dinheiro que é investido com uma estratégia de segmentação de mercado-alvo precisa e com dados pormenorizados sobre o seu alcance.

Como? Vamos deixar aqui, hoje, a tipologia dos dados a que qualquer um poderá ter acesso se desejar promover-se a si ou ao seu negócio da mesma forma que o primeiro ministro de Sua Majestade. Note-se que o Facebook não é o mais completo meio para análise de dados. Outras ferramentas como, por exemplo, o Google AdWords e o seu ‘aliado’ Analytics são, desde que convenientemente configuradas, muito mais abrangentes e ficarão para outra ocasião.

Quanto ao Facebook, vejamos então quais são os dados referidos acima que permitem a tão grande eficiência de uma campanha online. Em primeiro lugar é possível ter uma panorâmica geral do alcance das publicações, ou seja, número de pessoas que viram cada artigo, imagem ou vídeo publicados. Da mesma forma pode saber-se o número de ‘gostos’, de visitas e partilhas de cada um deles. Fica também a saber-se de onde vêm os ‘gostos’ da página segundo o País, a cidade e o idioma. Mais importante ainda, segundo o sexo e o segmento etário.

É fácil de compreender o grau de profissionalismo exigido, mas também a utilidade que todas estas métricas oferecem a quem pretende promover uma empresa, produto ou serviço, de forma rentável e dentro de padrões de gestão cuidados, alcançando mais facilmente o sucesso de diferentes tipos de publicações com base em médias de alcance e interação com os seus públicos-alvo.

fonte: João Nuno Patrício, Marketing Director YCORN.COM



Quinta, Junho 12, 2014

« Voltar